quinta-feira, 9 de junho de 2016

Faculdade FAETE faz doação de computador para o Cria

Na manhã desta quinta-feira (09), o Cria recebeu a doação de um computador novo para ser utilizado pela instituição em suas atividades diárias. A doação partiu da FAETE, Faculdade das Atividades Empresariais de Teresina, por meio do diretor geral, José Eduardo Pereira.
Assistentes sociais do Cria recebem a doação da equipe da FAETE
A doação da máquina, comprada exclusivamente e de acordo com as necessidades do Cria, foi concretizada com a visita de uma equipe da faculdade formada pelo próprio diretor geral e pelas professoras Raquel Dantas e Mara Macêdo.

Na ocasião, as duas instituições trataram sobre uma parceria na qual a faculdade se comprometeu em oferecer apoio jurídico ao Cria, além de um estagiário da área do Direito. A ONG, por sua vez, irá desenvolver, junto à faculdade, reuniões e ações trimensais junto à comunidade onde a FAETE está localizada.
Na ocasião, trataram sobre parceria a ser desenvolvida entre as instituições
É válido ressaltar que o Cria é uma ONG sem fins lucrativos que trabalha para a garantia do direito de toda criança e adolescente de viver em família. Em quase 07 anos de atuação, o Centro já retirou mais de 60 crianças e adolescentes de abrigos garantindo-lhes o direito à convivência familiar. Todo este trabalho só foi possível devido ao apoio de colaboradores e de parcerias como estas.

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Audiência Pública discute processo de adoção no Piauí

O Centro de Reintegração Familiar e Incentivo à Adoção (Cria) participou na quarta-feira, 08 de junho, de audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Juventude da Assembleia Legislativa do Piauí, presidida pelo deputado estadual Dr. Hélio.

O debate foi promovido com o objetivo de se discutir o processo de adoção e medidas para solucionar problemas enfrentados pelos que querem adotar, visto que é “lento e burocrático”, como disse o parlamentar em suas considerações, que destacou ainda que 10% das crianças que vivem em abrigos tem menos de 3 anos e que, portanto, estão dentro do perfil preferencial dos habilitados para adoção.


Francimélia Nogueira, coordenadora do Cria, destacou como um dos principais problemas do processo, a lentidão para a destituição do poder familiar e defendeu como soluções prazos mais céleres, mais estrutura para a Vara da Infância e da Juventude e a priorização do acolhimento familiar.


A defensora pública Carla Cibele destacou a dificuldade da reintegração familiar devido a ausência de políticas públicas que contemplem as famílias de origem, e ainda sobre o objetivo de cumprir o prazo máximo de 2 anos no abrigo para as crianças institucionalizadas.


Também estiveram presentes na audiência o deputado Francis Lopes, e representantes da Instituição de Acolhimento Lar Maria João de Deus, o Lar da Criança.

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Cria encerra campanhas do mês da adoção

O Cria encerrou as campanhas de divulgação realizadas durante todo o mês de maio em alusão ao mês da adoção. A campanha “Faz o A” e a série de histórias “Adoção: Um Retrato de Amor” foram estratégias utilizadas pela instituição para sensibilizar e chamar a atenção da sociedade sobre o assunto.


Além destas, o Cria realizou outras ações no dia 25 de maio, Dia Nacional da Adoção, como a festa das famílias, que aconteceu na sede da própria ONG onde estiveram presentes muitas famílias adotivas, acolhedoras e de origem; e ainda no mesmo dia, uma panfletagem em parceria com a OAB realizada durante a manhã no Fórum Cível e Criminal Desembargador Joaquim De Sousa Neto, em Teresina; e no final da tarde outra panfletagem na avenida Frei Serafim, no centro da cidade.

Confira as fotos da série "Adoção: Um Retrato de Amor"
































segunda-feira, 16 de maio de 2016

Cria capacita novas Famílias Acolhedoras

Na última sexta-feira, 13 de maio, o Centro de Reintegração Familiar e Incentivo à Adoção (Cria) realizou mais uma capacitação para pretendentes ao programa Família Acolhedora, cujo objetivo é inserir em famílias, em acolhimento provisório, crianças ou adolescentes que vivem em instituições de acolhimento.

WhatsApp-Image-20160513 (1)
Ao todo, seis pessoas participaram da capacitação, que foi coordenada pelas assistentes sociais Francimélia Nogueira e Taciana Bastos; e pelas psicólogas Socorro Mendonça e Elenice Macedo.
Dinâmicas, palestras, esclarecimentos e uma apresentação mais aprofundada do programa foram alguns temas tratados na capacitação.
WhatsApp-Image-20160513
Na ocasião, a psicóloga da Instituição de Acolhimento Lar Maria João de Deus, o Lar da Criança, Elenice Macedo, proferiu uma palestra sobre os danos psicológicos da criança devolvida pela família acolhedora e a importância das relações formadas dentro deste contexto.
WhatsApp-Image-20160513 (2)
A capacitação é um processo que antecede a participação dos pretendentes no programa Família Acolhedora. Os interessados devem se cadastrar para a seleção na sede do Cria, localizada à Rua São Pedro, 1841. Centro-Sul.

quinta-feira, 12 de maio de 2016

OAB-PI homenageia mães por adoção

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Seccional Piauí, promoveu na última sexta-feira, dia 6 de maio, um café da manhã em homenagem às mães adotivas de Teresina. O evento foi realizado pelas Comissões de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente, de Direito das Famílias e Sucessões, Diversidade Sexual e da Mulher Advogada.


O Cria, Centro de Reintegração Familiar e Incentivo à Adoção, foi convidado a participar do evento juntamente com algumas mães que tiveram seus processos de adoção auxiliados pela ONG.

Na ocasião, o presidente da OAB-PI, Chico Lucas, desejou a todos um feliz dia das mães e parabenizou todos os colaboradores do evento além de demonstrar seu apreço pelas mães adotivas. “Quero aqui deixar a minha admiração às mães adotivas que escolheram planejar e criar seus filhos se configurando como uma atitude mais do que nobre”.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Cria seleciona famílias para projeto que visa prevenir abrigamento

Pela manhã desta quinta-feira (14), aconteceu uma reunião referente ao Projeto Escola de Famílias, desenvolvido pelo Cria em parceria com o Governo do Estado, na escola estadual Florisa Silva, localizada no Promorar, zona sul de Teresina.

Estavam reunidos junto às 22 famílias das crianças que estudam na escola, uma assistente social e uma psicóloga do Cria, mais a direção do colégio, para selecionar e explicar como funciona o projeto.

O Escola de Famílias trabalha, de forma articulada, com a rede escolar, por meio de ações socioeducativas com crianças, adolescentes e suas famílias na tentativa de contribuir para o desenvolvimento dos alunos e para o fortalecimento das relações dentro das famílias, prevenindo assim, a ruptura dos vínculos familiares e comunitários e um consequente abrigamento.


projeto lida com a vulnerabilidade de famílias que pertençam à comunidade no entorno da escola e foca num grupo que é acompanhado pela equipe do Cria, e dessa forma também contribui com a redução da evasão escolar.

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Cria realiza capacitação no Abrigo Feminino de Teresina

Na manhã da última terça-feira, 05 de abril, as assistentes sociais e psicólogas do Cria realizaram capacitação com a equipe técnica e de educadores do Abrigo Feminino, instituição de acolhimento estadual que acolhe adolescentes que se encontram afastadas de suas famílias de origens.
A capacitação é parte do Projeto de Mãos Dadas, que visa fortalecer os laços entre os componentes do Sistema de Garantia de Direitos de Crianças e Adolescentes e, a partir disso, melhorar a qualidade de vida dentro dos abrigos.
Durante as capacitações, que também já foram realizadas em outros abrigos de Teresina, são promovidos debates, dinâmicas e reflexões para que sejam propostas soluções para problemas recorrentes com as crianças e adolescentes que chegam e vivem nessas instituições.
IMG_0582
A coordenadora do Abrigo Feminino, Lisânia Barbosa, destacou a importância desse tipo de atividade voltada às equipes de instituições de acolhimento, lembrando que por meio das reflexões obtidas é que se buscam melhorias.
“É muito bom, de vez em quando, a gente estar trabalhando esses temas como as fortalezas, as ameaças, fraquezas  e oportunidades, todos os colaboradores juntos, para que cada um fale o que realmente tá sentindo, quais as dificuldades que nós enfrentamos aqui, os pontos positivos e negativos, então é sempre bom a gente estar com esse tipo de atividade aqui no abrigo para o bom andamento, para que a gente reflita como está nosso trabalho, o que a gente tem que melhorar, para onde a gente quer ir. Toda e qualquer reflexão é importante e me chamou atenção, principalmente, os pontos negativos, porque é com eles que a gente tem que crescer, tem que trabalhar para poder melhorar”, declarou a coordenadora.
IMG_0584
As capacitações terão continuidade em outros abrigos e têm previsão para acontecerem também com os conselhos tutelares da capital.