sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Mutirão reavalia casos de crianças do Programa Família Acolhedora

Foi realizada na sexta-feira (23), na sede do Cria (Centro de Reintegração Familiar e Incentivo à Adoção), a abertura das audiências concentradas para reavaliação da situação das crianças e adolescentes que estão inseridos no Programa Família Acolhedora, executado pela organização.

O mutirão é um procedimento realizado para a reavaliação semestral dos casos de crianças e adolescentes que se encontram em situação de acolhimento, seja ele familiar ou institucional.
No Cria, são nove as crianças que terão seu processo reavaliado. Dentre elas, seis estão vivendo em acolhimento familiar há mais de 04 anos e as respectivas famílias entraram com pedido de adoção. As demais têm possibilidade de serem reintegradas à família biológica ou disponibilizadas ao Cadastro Nacional da Adoção.
De acordo com a assistente social e coordenadora do Cria, Francimélia Nogueira, as audiências concentradas cumprem a legislação, que prevê a reavaliação semestral obrigatória dos casos, e servem para decidir a vida da criança.
“Essas audiências estão previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente e são realizadas com foco no melhor interesse da criança; onde ela deixa de ser invisível e passa a ter seu caso solucionado, podendo retornar para a sua família de origem ou ser disponibilizada para adoção. O abrigamento é uma medida provisória e excepcional, portanto é de extrema importância que a reavaliação dos processos seja realizada dentro do prazo estipulado pela legislação”, enfatizou Francimélia.
O mutirão será realizado pela I Vara da Infância e da Juventude, por meio da juíza auxiliar, Maria da Paz e Silva Miranda. Nas audiências estarão presentes o Ministério Público Estadual, a Defensoria Pública, o Conselho Tutelar e a equipe do Cria. 

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Veja fotos da manhã de piscina de setembro

Em mais uma edição da nossa manhã de piscina, que aconteceu no último sábado (26), o Cria e os voluntários da JOCUM Teresina - Jovens com uma missão - proporcionaram mais uma manhã de lazer, amor e alegria para crianças e adolescentes que vivem em abrigos de Teresina. 

O evento é pontual e acontece sempre no último sábado de cada mês na Adufpi, também parceira do Cria nesta causa! Agradecemos imensamente o carinho e a dedicação do jovens do JOCUM Teresina‬ e esperamos que mais grupos de voluntários se sensibilizem para nossas ações! 




quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Confira as fotos da Manhã de Piscina de Agosto

No último sábado (29),aconteceu a manhã de piscina do mês de agosto, e mais uma vez o Cria, em parceria com abrigos de Teresina, levou e proporcionou uma manhã de lazer cheia de coisa boa para as crianças e adolescentes que vivem institucionalizados. Se você quiser ser voluntário nessas manhãs de lazer, fale conosco, precisamos de você!










terça-feira, 18 de agosto de 2015

Curso realizado pelo Cria e Fundação Wall Ferraz forma 23 cuidadoras infatis

O curso de cuidador infantil, fruto de uma parceria do Centro de Reintegração Familiar e Incentivo à Adoção (Cria) e da Fundação Wall Ferraz, foi encerrado na tarde da última sexta-feira (14) na sede do Cria. 

Na solenidade, as 23 alunas fizeram o juramento do cuidador e agradeceram aos organizadores do Curso pela oportunidade e pela qualidade da capacitação, que contou com a participação de 11 professores, todos profissionais especializados em áreas diversas. Os assuntos foram variados, desde massagem infantil, ministrado por uma fisioterapeuta; à aula de direito trabalhista, Estatuto da Criança e do Adolescente e maus tratos com uma advogada; pensando em melhor atender aos interesses das crianças com quem as novas cuidadoras terão contato.



Na ocasião, estiveram presentes a presidente da Fundação Wall Ferraz, Francisca Aparecida Ribeiro Caland; a coordenadora do Cria, Francimélia Nogueira; a administradora do curso, Narcian Keylla Sousa de Araújo; e os professores: Taciana Bastos (assistente social), Fabrício Barbosa (psicopedagogo), Elenice Macedo (psicóloga) e Rita de Cássia Moura (enfermeira).


Por último, as alunas e professores confraternizaram com coffee break e realizaram, ainda, sorteio de prêmios entre os presentes.


Curta nossa FanPage: www.facebook.com/cria.pi

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Cria abre seleção para o Programa Família Acolhedora

De acordo com o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), "toda criança ou adolescente tem o direito a ser criado e educado no seio de sua família e, excepcionalmente, em família substituta, assegurada a convivência familiar e comunitária", no entanto, hoje, mais de 300 crianças e adolescentes vivem institucionalizados em abrigos de Teresina.


Pensando em garantir este direito à vida em família aos que vivem em instituições de acolhimento, o Centro de Reintegração Familiar e Incentivo à Adoção (Cria) abre seleção para o Programa Família Acolhedora, cujo objetivo é retirar dos abrigos e inserir em famílias os infantes que se encontram nos abrigos da capital.

O Programa Família Acolhedora funciona como uma alternativa para que a criança ou adolescente afastado de sua família biológica não permaneça em abrigos em condições inapropriadas para o seu desenvolvimento, garantindo-lhes o direito fundamental da convivência familiar e comunitária, assegurado pela Constituição Federal.

De acordo com Taciana Bastos, assistente social do Cria, "para ser família acolhedora o mais importante é estar disposto a ajudar a criança a passar por essa situação difícil de sua vida, tendo em vista que quanto maior for o tempo que passa longe do convívio familiar, maior é o prejuízo para o seu desenvolvimento".

Família Acolhedora do Cria


Para participar do Família Acolhedora, os interessados não devem ter intenção de adotar, mas apenas de acolher temporariamente em sua casa por um período de até  02 anos. “Esse é o tempo máximo estipulado para que a justiça resolva o caso da criança ou do adolescente, disponibilizando-os para a adoção ou reintegrando-os a sua família de origem. Este apoio da sociedade é fundamental, pois a maior carência que se impõe a estas crianças e adolescentes, é a carência afetiva”, frisa Francimélia Nogueira, Assistente Social e Coordenadora do Cria.

O Cria oferece, além do apoio psicossocial com profissionais experientes na área (psicólogo, assistente social, psicopedagogo), uma bolsa auxílio para ajudar a custear as despesas da criança durante o período em que ela viver em família acolhedora.

Para se cadastrar no programa, os interessados devem se dirigir até a sede do Cria, localizada na Rua São Pedro, 1841, no centro de Teresina, e falar com as assistentes sociais da instituição. Em seguida, as famílias cadastradas participarão, no próximo dia 22 de agosto, de uma capacitação para pessoas interessadas em se habilitar a receber provisoriamente estas crianças e adolescentes institucionalizadas.


quinta-feira, 23 de julho de 2015

Curso de cuidador infantil é visto como alternativa para entrar no mercado de trabalho

O curso gratuito de cuidador infantil “Capacitar para melhor cuidar”, iniciativa do Cria (Centro de Reintegração Familiar e Incentivo à Adoção) e da Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Wall Ferraz, segue capacitando 23 alunas e é visto como uma alternativa para o ingresso destas no mercado de trabalho, que também ganha em receber profissionais capacitadas.

O curso, que acontece desde 08 de junho, na sede do Cria, oferece um cronograma variado e completo para a formação de cuidadores infantis. As disciplinas ministradas são serviço social, enfermagem, psicologia, direito, nutrição, psicopedagogia e até aulas de massagens, tanto para gestantes (Doula) quanto para bebês (Shantala). Todos os assuntos são ministrados por profissionais de cada área que direcionam o conteúdo para os cuidados com as crianças.

De acordo com a assistente social Narcian Keylla, a carga horária do curso é de 160 horas, no entanto, “as alunas estão tão empolgadas que pedem mais”. Declara ainda que o ponto mais positivo do curso para as alunas é o conhecimento, e para o mercado de trabalho é receber cuidadoras capacitadas e com postura profissional adequada.

“O curso tá agregando muitos conhecimentos para elas, o que observei também é a necessidade de cuidar bem dos próprios filhos. A maioria procura o curso para cuidar dos filhos e arranjar emprego. O conhecimento, a postura e a oportunidade em se aprimorar no cuidado com os próprios filhos e filhos de outras pessoas são algumas das vantagens desse curso. Além de o mercado estar ganhando cuidadoras capacitadas, que proporcionem qualidade de vida para as crianças com as quais tem e terão contato”.

O curso será finalizado no dia 14 de agosto. As alunas terão vivência prática como cuidadoras nas instituições de acolhimento Lar Maria João de Deus, o Lar da Criança; e ainda, no abrigo Reencontro

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Cria lança campanha contra o abandono em parceria com OAB, Juizado e Defensoria Pública




O Centro de Reintegração Familiar e Incentivo à Adoção vai realizar, em parceria com a OAB-PI, com a I Vara da Infância e da Juventude de Teresina e com a Defensoria Pública do Estado, a campanha "Abandonar é crime! Entregar para adoção é um ato de amor".

A campanha será lançada na próxima segunda-feira, 25 de maio, no auditório da ESA, na sede da Ordem dos Advogados do Piauí, Seccional Piauí, de 8hs às 11hs.

Na ocasião, estarão presentes autoridades de todos os órgãos que trabalham na garantia dos direitos da criança e do adolescente com o objetivo de promover um debate sobre a entrega consciente de um filho para adoção legal.

A campanha "Abandonar é crime! Entregar para adoção é um ato de amor" visa evitar o abandono de crianças e enfatizar a diferença entre o abandono e a entrega consciente de um filho para adoção, sensibilizando a sociedade e desmistificando todo o processo que envolve a desistência legal do poder familiar.

De acordo com a presidente do Cria, Francimélia Nogueira, é de fundamental importância juntar a sociedade em geral e a rede de garantia e proteção dos direitos da criança e do adolescente para debater o tema.

"Precisamos nos juntar e discutir esses casos recorrentes que nos chocam de infanticídios, de crianças encontradas dentro de armários, de bebês abandonados em lagos, terrenos, entre outros. Precisamos fazer com que as pessoas entendam que a principal saída é o amparo, o acolhimento, a proteção e a orientação à essa mãe que não quer ou não pode cuidar do seu filho, para que possamos dar a essa criança um destino diferente", complementou.

Todos os anos, o Cria promove um evento de grande porte para promover um impacto na sociedade sobre o problema da institucionalização de crianças e adolescentes. A não desistência legal por parte das famílias de origem dos jovens que vivem em abrigos é hoje um dos principais problemas que tardam a adoção de crianças e adolescentes por todo o Brasil.